O Restaurante no Fim do Universo

Existe uma teoria que diz que, se um dia alguém descobrir exatamente para que serve o Universo e por que ele está aqui, ele desaparecerá instantaneamente e será substituído por algo ainda mais estranho e inexplicável.
Existe uma segunda teoria que diz que isso já aconteceu.

O Restaurante no Fim do Universo

E lá fui eu para o segundo livro da série O Mochileiro das Galáxias de Douglas Adams. Para quem quiser ver a resenha do primeiro livro clique AQUI.

O Guia do Mochileiro das Galáxias é um companheiro indispensável para todos aqueles que estão interessados em encontrar um sentido para a vida em um Universo infinitamente complexo e confuso, pois, ainda que ele não possa de forma alguma ser útil e informativo em todas as questões, ele pelo menos alega, de forma tranquilizadora, que, onde ele está incorreto, ele pelo menos está muito incorreto. Em casos de total discrepância, é sempre a realidade que não pegou o jeito da coisa.
Essencialmente era isso que dizia o aviso: “O Guia é definitivo. A realidade está frequentemente incorreta.

Relembrando rapidamente o livro um. O planeta Terra foi destruído. Arthur e Ford conseguem escapar da destruição pegando carona em uma nave, a Coração de Ouro. Essa nave havia sido roubada pela presidente da galáxia e criador da nave, junto com ele, Zaphod, está Trillian e o robô depressivo Marvin.

A Terra foi um segundo computador criado para dar a resposta (na real a pergunta) que o primeiro computador, chamado Pensador Profundo não soube dar, ele só disse que a resposta para a vida, o universo e tudo o mais é 42. Ok, mas qual é a pergunta para dar 42 de resposta. Isso era o que a Terra deveria informar, mas um pouco antes do processo terminar a Terra foi destruída e não ficamos sabendo qual era a pergunta.

Ok, agora agora vamos começar o livro 2.

Nesse livro Ford, Arthur, Zaphod, Trillian e Marvin se enfiam em mais uma aventura.

Toda a confusão começa porque Arthur quer um chá, e a máquina que faz chá serve uma porcaria que não é chá. Mas como ele é muito insistente em querer o chá, acaba dando um “tiuti” na máquina e ela trava (pesquisando como fazer um chá), mas não só a máquina de chá trava, mas o computador da nave.

Nesse momento os Vogons começam a atacar a nave Coração de Ouro e eles não tem como se defender. Zaphod resolve chamar seu avô (morto) Zaphod Beeblebrox Quarto, para ajudá-los a sair dessa enrascada.

Não vou contar o que acontece agora para não estragar a história. Mas é assim que começa o livro, nessa baita encrenca por causa de uma xícara de chá.

Confesso que o primeiro livro fluiu muito mais rápido que esse. Esse eu demorei horrores para ler e só tem 176 páginas. Depois que passei da metade do livro a leitura fluiu melhor, mas até a metade eu estava achando meio enrolado, lento, confuso, não conseguiu me prender igual ao primeiro. 

Mas como depois ficou bom, estou curiosa para saber como os personagens vão sair das suas enrascadas e qual é a pergunta da resposta “42″. Então bora começar o terceiro livro da série.

Se os seres humanos não moverem seus lábios, seus cérebros começarão a funcionar.

Uma coisa que achei bem “interessante”nesse livro, foi no restaurante no fim do universo por exemplo, onde a comida se oferece para ser comida. O boi se apresenta e diz quais das suas partes são boas e tal. Eu teria a mesma reação de Arthur, não conseguiria comer o boi. E o boi ainda pergunta, você prefere comer um animal que não quer ser comido??? Pois é, agora ficou difícil. Tadinho do boi ehehehe.

Esse livro foi lançado pela Editora Sextante. Compare e Compre.

Sinopse:

O que você pretende fazer quando chegar ao Restaurante do Fim do Universo? Devorar o suculento bife de um boi que se oferece como jantar ou apenas se embriagar com a poderosa Dinamite Pangaláctica, assistindo de camarote ao momento em que tudo se acaba numa explosão fatal? A continuação das incríveis aventuras de Arthur Dent e seus quatro amigos através da galáxia começa a bordo da nave Coração de Ouro, rumo ao restaurante mais próximo. Mal sabem eles que farão uma viagem no tempo, cujo desfecho será simplesmente incrível. O segundo livro da série de Douglas Adams, que começou com o surpreendente “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, mostra os cinco amigos vivendo as mais inesperadas confusões numa história cheia de sátira, ironia e bom humor. Com seu estilo inteligente e sagaz, Douglas Adams prende o leitor a cada página numa maravilhosa aventura de ficção científica combinada ao mais fino humor britânico, que conquistou fãs no mundo inteiro. Uma verdadeira viagem, em qualquer um dos mais improváveis sentidos.

By |2019-04-26T02:07:46+00:00maio 4th, 2019|Uncategorized|0 Comments

About the Author: